Gramática(UFGD-2009) Modalidade oral e escrita da Língua Tópico resolvido

Moderador: [ Moderadores TTB ]

Avatar do usuário
Autor do Tópico
Liliana
1 - Trainee
Mensagens: 975
Registrado em: Ter 11 Out, 2016 21:17
Última visita: 07-02-19
Agradeceu: 621 vezes
Agradeceram: 61 vezes
Set 2017 01 21:33

(UFGD-2009) Modalidade oral e escrita da Língua

Mensagem não lida por Liliana » Sex 01 Set, 2017 21:33

Leia o trecho da entrevista a seguir feita com o linguista Marcos Bagno, conduzida pela revista Discutindo a Língua Portuguesa.

“DLP – Pode-se afirmar que a língua portuguesa é um instrumento de exclusão social?
MB – Não. A língua portuguesa assim, com artigo definido e no singular, não exclui ninguém. Talvez só os brasileiros falantes de línguas indígenas e de outras que não têm o português como língua materna. Ela [a língua portuguesa] é o elemento mais importante da identidade nacional da imensa maioria dos brasileiros. A exclusão social é provocada pela identificação dessa “língua portuguesa” com um modelo muito restrito de língua, uma idealização e ideologização da escrita literária de um punhado de escritos selecionados a dedo por meia dúzia de gramáticos. Quando o aluno chega na escola (“na escola”, porque na gramática do português brasileiro as pessoas chegam “em” algum lugar), se vê confrontado com uma coisa chamada “português” que não corresponde em nada à sua intuição lingüística, nem mesmo ele sendo oriundo das classes médias urbanas. Ali ele vai descobrir que é preciso dizer “chegar à escola”, ou que vendem-se casas (como se as casas pudessem vender a si mesmas!) e outras regras que compõem um modelo antiquado de português correto, que não corresponde sequer à prática dos nossos melhores escritores dos últimos cem anos ou mais. O que exclui é querer convencer alguém que é errado dizer “eu custo a crer”, quando isso aparece em textos de José de Alencar (que morreu em 1877!) ou que é preciso “imitar os clássicos”, mas que, ao mesmo tempo, é errado usar, como Machado de Assis usou, o advérbio “meia” no feminino (“Filomena era meia sem-graça”), como se faz na língua há mais de mil anos!”

Marque a proposição correta.

(A) Na frase “[...] se vê confrontado com uma coisa chamada 'português' que não corresponde em nada à sua intuição linguística”, pode-se inferir que a variedade do português ensinado na escola desconsidera o conhecimento intuitivo dos falantes sobre a língua.

(B) Segundo o entrevistado, as construções “chegar à escola” e “chegar na escola” correspondem, respectivamente, à modalidade escrita e à modalidade oral da língua portuguesa.

(C) Segundo o entrevistado, a regra gramatical que considera correta a construção “vendem-se casas” é lógica.

(D) Na frase “Talvez só os brasileiros falantes de línguas indígenas e de outras que não têm o português como língua materna”, o sujeito do verbo “têm” é “línguas indígenas”.

(E) Os termos “idealização” e “ideologização” podem ser substituídos, sem alteração de sentido, por “deformação” e
“corrompimento”, respectivamente.

Qual o erro da B)? Pelo texto, até parece ser ela como correta, e também o texto não diz que a escola ensina variedades do português, como diz na A), e sim que ensina a norma culta.




Avatar do usuário
Brunoranery
5 - Mestre
Mensagens: 971
Registrado em: Qua 28 Jun, 2017 15:01
Última visita: 17-09-19
Agradeceu: 172 vezes
Agradeceram: 790 vezes
Set 2017 02 05:55

Re: (UFGD-2009) Modalidade oral e escrita da Língua

Mensagem não lida por Brunoranery » Sáb 02 Set, 2017 05:55

Bom dia.
Você tem que entender que na b ele diz "segundo o entrevistado". Em nenhum momento ele diz isso. O que o entrevistado faz é estabelecer uma relação entre o português culto e o intuitivo. Tanto que ele cita os antigos escritores, não citando essa modalidade oral.

Quanto à letra A, analise com cuidado: a variedade do português ensinado na escola desconsidera o conhecimento intuitivo. Ou seja, a escola ao invés de respeitar as variedades linguísticas, acaba batendo apenas na tecla do português culto.

Última edição: Brunoranery (Sáb 02 Set, 2017 05:57). Total de 1 vez.


Ajudei-te? Confira minhas resoluções no canal: https://www.youtube.com/channel/UCFy9BChtDB9V2GfvtRvWwqw
Projeto Med.

Avatar do usuário
Autor do Tópico
Liliana
1 - Trainee
Mensagens: 975
Registrado em: Ter 11 Out, 2016 21:17
Última visita: 07-02-19
Agradeceu: 621 vezes
Agradeceram: 61 vezes
Set 2017 02 16:49

Re: (UFGD-2009) Modalidade oral e escrita da Língua

Mensagem não lida por Liliana » Sáb 02 Set, 2017 16:49

Mas o entrevistado diz na entrevista "Quando o aluno chega na escola (“na escola”, porque na gramática do português brasileiro as pessoas chegam “em” algum lugar)..." e "Ali ele vai descobrir que é preciso dizer 'chegar à escola' ", conforme está na b)



Avatar do usuário
undefinied3
5 - Mestre
Mensagens: 1258
Registrado em: Dom 02 Ago, 2015 13:51
Última visita: 03-12-19
Agradeceu: 134 vezes
Agradeceram: 1123 vezes
Set 2017 02 17:44

Re: (UFGD-2009) Modalidade oral e escrita da Língua

Mensagem não lida por undefinied3 » Sáb 02 Set, 2017 17:44

No meu entendimento, em momento algum ele distingue modalidade oral de escrita, mas sim portugues intuitivo e "português". Além disso, ele dá um exemplo muito forte que contraria a B:
"que não corresponde sequer à prática dos nossos melhores escritores dos últimos cem anos ou mais."
Ou seja, nem mesmo na modalidade escrita essa modalidade é utilizada. Isso vai de frente com a letra B. Por outro lado, a letra A trata de um pressuposto bem claro do texto: se o aluno é CONFRONTADO com o "português", é porque a escola desconsidera o conhecimento intuitivo, pois, se houvesse consideração, não haveria confronto.

Última edição: undefinied3 (Sáb 02 Set, 2017 17:45). Total de 1 vez.


Ocupado com início do ano no ITA. Estarei fortemente inativo nesses primeiros meses do ano, então busquem outro moderador para ajudar caso possível.

Responder
  • Tópicos Semelhantes
    Respostas
    Exibições
    Última msg

Voltar para “Gramática”