Página 1 de 1

(UEG 2012) Vasos

Enviado: Qua 18 Jul, 2018 16:50
por danimedrado
A figura abaixo representa a dinâmica das pressões que atuam nas trocas capilares. Os capilares arteriais tendem a levar água do plasma aos tecidos, e os capilares venosos tendem a reabsorver líquidos dos tecidos. As pressões oncótica (PO) e hidrostática (PH) atuam contrariamente, sendo a pressão oncótica atribuída às proteínas plasmáticas.
4a7ae15e0f0be92b73e7b104d53092cc70973245fb31d9652f7ba36b58ba859e.png
4a7ae15e0f0be92b73e7b104d53092cc70973245fb31d9652f7ba36b58ba859e.png (15.52 KiB) Exibido 501 vezes
A respeito da manutenção metabólica exercida pelo fluxo entre os capilares e os tecidos, é correto afirmar:
a. no glomérulo renal, o aumento da PO ocorre devido à grande rede de filtração que retém proteínas plasmáticas.
b. a diminuição da PH na vênula ocorre por causa da menor concentração de proteínas plasmáticas e consequente aumento da PO.
c. a reduzida concentração de proteínas plasmáticas, por deficiência nutricional, ocasiona o aumento da PH com consequente formação de edema.
d. a força exercida por PH e PO determina o fluxo de , e de glicose, de maneira dependente, principalmente, da concentração plasmática de albumina.
Resposta

C
Alguém pode me explicar esta questão?

Re: (UEG 2012) Vasos

Enviado: Sáb 17 Nov, 2018 15:00
por AlissonPA
Olá danimedrado!

Essa é uma questão que exige muita imaginação. A questão está tratando, basicamente, da troca de líquido através dos capilares. Essa troca depende, de forma simplista, de dois fatores: da pressão oncótica e da pressão hisdrostática. A pressão hidrostática (PH) está relacionado com a pressão que o líquido exerce sobre a parede do capilar, quanto maior a pressão, maior será a sua tendência de atravessar a membrana do capilar. A pressão oncótica (PO) está relacionado com a pressão osmótica devido a concentração de proteínas no sangue - portanto, ela é maior, quando maior é a concentração de proteínas no sangue. Quanto maior é essa pressão, mais o fluído é atraído para dentro do capilar.
Como funciona isso? Inicialmente, nas arteríolas, as proteínas estão muito dissolvidas no sangue, dessa forma a PO - a tendência do líquido de se dirigir para o interior do capilar - é pequena, mas a PH - a tendência do líquido se dirigir para o interior do tecido - é grande, pois o volume de líquido é grande. À medida que o volume de líquido diminui (pois ele está se dirigindo para o interior do tecido) a PH diminui e as proteínas ficam mais concentradas (pois, pelo seu tamanho, não atravessam a membrana do capilar), aumentando a PO. Portanto, a medida que o sangue atravessa o capilar maior será a tendência do líquido retornar ao Sistema Circulatório. Essa reabsorção de líquidos é muito importante pois impede o acúmulo de líquido no tecido (edema).
Agora, vamos olhar as alternativas: a letra "A" aponta que o responsável pelo aumento da PO nos glomérulos seria a retenção das proteínas, contudo, em condições fisiológicas, essa retenção ocorre em todos os tecidos. Como vimos em cima, a "B" erra ao dizer que uma menor concentração de proteínas leva a um aumento da PO. Por sua vez, a "D" erra por dois fatores: o fluxo de glicose não envolve apenas mecanismos como difusão ou osmose e depende de outros fatores além da concentração plasmática de proteína; além do mais, essa concentração é apenas um dos fatores que regulam o fluxo de água pelo capilar.
Desse modo, acabamos optando pela letra "C", embora ele peque ao falar que o PH aumenta. o que ocorre é que, com uma concentração de proteínas menor haverá uma menor PO. Com uma menor tendêndica do líquido retornar para o capilar, maior é o fluxo do líquido para o interior do tecido que, por causa dessa perda da capacidade de retornar ao sistema circulatório, acaba se acumulando no tecido (edema).